domingo, 23 de dezembro de 2012

Canções de Natal: três álbuns que fogem da mesmice da ocasião

Em boa parte do mundo a cena se repete todo final de ano: ruas, prédios, praças e, principalmente, lojas, se enfeitam para o Natal. No caso do nosso país, tal cenário é envolto por uma aura particularmente kitsch: decorações com muita “neve” e repletas de esculturas de animais alienígenas à nossa fauna, como renas e ursos – tudo sob uma temperatura escaldante. Claro, um monte de gente adora. Outra tradição desta época, apesar de não encontrar muito eco por aqui, são os discos de Natal. Nos Estados Unidos, por exemplo, é comum artistas dos mais variados gêneros – até mesmo do metal – lançarem singles ou mesmo álbuns inteiramente dedicados ao tema. No entanto, o resultado é quase sempre constrangedor. Em compensação, alguns trabalhos conseguem ser originais e acabam agradando até mesmo o público secular.

Ornamental (V/A) - Lançada em 2012, a compilação do selo estadunidense Projekt – especializado em gothic, ambient, ethereal e afins – traz 23 faixas divididas em dois CDs: o primeiro reúne versões de músicas tradicionais interpretadas por nomes como All My Faith Is Lost, Nick Jaine e Mirabilis; o segundo apresenta canções originais que, direta ou indiretamente, estão relacionadas com o Natal, como a releitura do black tape for a blue girl para Forbidden Colors, de Ryuichi Sakamoto e David Sylvian, tema do filme Furyo - Em nome da honra (com David Bowie).

Lovespirals – Happy Holidays




Dark Mark Does Christmas 2012 (Mark Lanegan) - Gravado de forma descompromissada, este ep de 6 faixas, vendido exclusivamente nos shows da turnê mais recente do ex-vocalista do Screaming Trees, presenteia o ouvinte com versões sorumbáticas de hinos natalinos como O Holy Night e We Three Kings, em que a produção lo-fi apenas acentua o poder da voz rouca de Lanegan. O compacto fecha com Burn The Flames, cover de Roky Erickson.

Mark Lanegan – O Holy Night



50 Words For Snow (Kate Bush) – Após 11 anos afastada do show business, a cantora britânica voltou à ativa com o álbum duplo Aerial, de 2005. Seis anos depois, a intérprete de Wuthering Heights lançou este que é seu primeiro trabalho sazonal. 50 Words For Snow não é um álbum natalino; na verdade, como o título sugere, temos aqui sete longos temas (a faixa mais curta ultrapassa os seis minutos) inspirados na neve, elemento que, invariavelmente, evoca a celebração cristã em qualquer parte do mundo – inclusive em nosso país tropical.

Kate Bush – Misty (Edit)